"Não ficção é uma descrição ou representação de um assunto que é apresentado como fato. Esta representação pode ser precisa ou não; isto é, pode fornecer uma descrição verdadeira ou falsa do assunto em questão. Todavia, geralmente assume-se que os autores de tais relatos acreditavam que eles eram verdadeiros na época em que foram criados."


início - autora - 2017 reading challenge - blogroll
Tecnologia do Blogger.

Life



Eu queria poder dizer que eu voltei agora para ficar, que aqui é meu lugar, mas com essa vida acontecendo, não sei dizer bem quando poderei dar as caras novamente.

Para resumir os últimos meses, os Estados Unidos, que até o começo do ano ainda era sombra e água fresca, virou do avesso. Virou trabalho, mestrado, obrigações e adulthood. Ia acontecer eventualmente, eu sei, mas a gente sempre quer acreditar que o verão vai durar eternamente.

Ainda hoje eu me peguei pensando no ponto A e no ponto B, nessa longa curva entre eles, e fica difícil equacionar como cheguei aqui. Pensar que nos últimos posts, lá estava eu, recolhendo ovinhos coloridos no parque, animada por mais uma viagem, por mais lugares novos para explorar. E agora não tem mais viagem, pelo menos não por um ano. Mestrado é coisa séria, minha gente, e férias de inverno/primavera não há. O trabalho e a falta de feriados americanos colaboram menos ainda. É oficial, a festa acabou. What now, Joseph?

Posso dizer que é por uma boa causa e vou levando até que bem. As notas estão boas, os managers satisfeitos. Aliás, está aí outra coisa que jamais imaginei na vida; trabalhar em uma das maiores empresas do mundo corporativo yankee. Estressante? Tem dia que se eu não matar um até o meio dia, não sobrevivo. Mas recompensador. Especialmente pela troca de culturas, de experiências de vida, de amizades transoceânicas. O parceiro de trabalho indiano, a colega de sala italiana, o manager americano, a dupla na lição de casa chinesa. Estudar e trabalhar nos EUA é como fazer parte de um grande caldeirão de misturas, é se acostumar com os mais variados sotaques, achar graça nos mais variados sensos de humor. E se sentir uma pequena, mas significante parte do mundo. Como se tivesse um lugarzinho reservado ali só para mim.

Por falar em lugarzinho, agora eu finalmente tenho o meu. Ela tem jardim florido, cerca branca e mais quartos do que eu jamais vou usar. E minha. E nossa. Veja só, meu nome em uma hipoteca no norte do mundo. Mais um desvio na curva que eu jamais seria capaz de prever, que eu sequer acreditaria se me contassem há pouco mais de um par de anos.



Das leituras de 2017, no entanto, ficaram só decepções. Era uma vez existiu essa meta de ler 4 livros por mês. Agora, o tempo livre foi todo ocupado por programação e modelagem e sql e R e dashboards infinitas e... socorro. Sinto muita falta da Agatha, da Rowling, da R.J Palacio. As séries então, só consegui maratonar HIMYM porque os episódios de 20 minutinhos eram todo o tempo que eu tinha entre jantar e dormir.

"É tudo por uma boa causa", repito. E repito tanto que acredito. E acordo mais um dia para enfrentar esse frio cortante de Utah, nessa vidinha que vou construindo aos poucos. Por que quem sabe que intrincada equação me levará ao ponto C dessa vez.

7 comentários

  1. Acho lindo ler essas histórias de reviravoltas que a vida dá, de sonhos que estão sendo construídos e rotinas que foram transformadas repentinamente. Eu também to aqui, quase terminando a faculdade, me esforçando no inglês pra um dia também estar aí, desbravando lugares de um norte desconhecido pra mim. Eu quero te desejar muita força e foco nesses caminhos e desvios do destino. Sorte em tudo e fica bem!

    Com carinho,
    Conto Paulistano

    ResponderExcluir
  2. Amiga, por mais difícil que esteja sendo essa sua nova fase, ela também representa cada conquista sua, cada degrau que você vem subindo. Quando vier aquela sensação de desespero, de que não vai conseguir dar conta, pensa onde tudo começou e onde você chegou e ainda vai chegar mais além! Visualizar essa imagem nos dá força pra enfrentar os obstáculos. Sem falar que, sempre estarei aqui pra dar aquela injeção de ânimo! No fim, tudo dará certo : ) 😘

    ResponderExcluir
  3. Que saudade eu estava (visito seu blog praticamente todo dia)de ver você aqui novamente. É tão bom ver que a nossa vida está com uma nova rotina, mesmo que seja cansativa, no final compensa. Eu gosto de ler tanto blogs como o seu, porque eu fico imaginando tudo de bom que está acontecendo na sua vida. Fico muito feliz por você e por estar de volta <3

    ResponderExcluir
  4. Muito dos sentimentos que você compartilhou por aqui eu tb senti quando a minha vida deu uma guinada. E os EUA é bem isso que você definiu: uma mistura de culturas, cada um ao seu modo, onde a gente se encanta, aprende e sorri com tanta pluralidade à medida que o dia passa.

    Beijos e sucesso nessa nova etapa da sua vida!

    www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. pensa que é apenas uma fase e logo você vai ter mais tempo pra ler livros por pura vontade :) eu gosto da sensação de me sentir útil de alguma forma. parei um pouco com a noia de estar sempre produtiva, mas às vezes não é a gente que escolhe estudar/trabalhar tanto... as coisas vão acontecendo. pois então, que a gente aproveite muito bem os 20 minutos que restam pra assistir aqueles seriados simplões e se desligar um pouco de toda a correria :D

    ResponderExcluir
  6. reviravoltas boas são sempre bem vindas, né? boa sorte nessa nova etapa! e não se preocupa que passa rápido e logo logo você vai voltar pros seus livros e seriados ;)

    ResponderExcluir
  7. Adorei saber noticias suas! A vida aqui é bem intensa mas apesar dessa correria louca de estudar e trabalhar, da falta de tempo e cansaço, isso tudo traz uma experiencia pra vida e como a vida é feita de fases, daqui pouco essa acaba e ai chega a fase do so trabalhar e voce volta a ter mais tempo pra voce, seus livros, projetos pessoais...aguenta ai que ja ja acaba.
    Beijos

    ResponderExcluir