Da decisão acadêmica

Estou aqui, sentada com o note no colo, encarando o cursor piscando na tela há horas, me sentindo incapaz de redigir qualquer resposta às faculdades. Não consigo evitar de sentir um gosto amargo enquanto junto palavras para justificar minhas recusas. Não apenas por ter sido incrivelmente bem tratada nas visitas que fiz durante o mês de Abril, mas também pelas oportunidades que me sinto deixando para trás.

É claro que boa parte dessa minha ansiedade se justifica pelo fato de que essa não é apenas uma escolha desleixada chocolate/baunilha, mas sim um presságio, um enorme golpe de sorte para onde posso direcionar minha vida. Quero dizer, eu até me considero uma pessoa pragmática e metódica quando se trata de assuntos acadêmicos, porém, mesmo tendo ponderado todos os cenários, mesmo depois da listinha pro/con Rory Gilmore, acabei por finalmente me conformar do óbvio; não é possível ter certeza do futuro. Não posso, e jamais poderei, confirmar qual seria a decisão mais acertada, mesmo porque não tenho outras realidades paralelas para testar. Sylvia Plath me entenderia.

lista pro/con no bujo

Tecnologia do Blogger.