"Não ficção é uma descrição ou representação de um assunto que é apresentado como fato. Esta representação pode ser precisa ou não; isto é, pode fornecer uma descrição verdadeira ou falsa do assunto em questão. Todavia, geralmente assume-se que os autores de tais relatos acreditavam que eles eram verdadeiros na época em que foram criados."


início - autora - 2017 reading challenge - blogroll
Tecnologia do Blogger.

Adoráveis imprevistos 2016/2017

Foi lá no comecinho de 2016 que eu escrevi sobre ter aceitado, finalmente, que resoluções de ano novo não são para mim. Não foi um caminho fácil (não para uma obcecada por controle), mas 2015 havia me forçado a deixar a vida fluir e, de quebra, me mostrado que pisar fora da zona de conforto poderia sim resultar em surpresas agradáveis.
E nessa vibe, lá em Janeiro/16, decidi jogar o bullet journal em um canto esquecido do armário, e começar o ano apenas com uma lista simples de 4 diretrizes - não metas - para o ano. Veja só, 2016 não teria planos, mas tampouco teria restrições.
No fundo, era um projeto ousado com pinta de preguiçoso. Porque o deixa a vida me levar, vida leva eu parece fácil, mas, para a neurótica aqui, sempre soou algo como contornar um abismo com os olhos vendados. Pelo menos eu poderia me confortar no fato de que, caso quisesse/precisasse mudar qualquer coisa no meu ano - mesmo que fosse para virar 180° -, não haveria qualquer frustração associada a uma lista pré-estabelecida. O objetivo era mesmo ver no que dá, com o bônus de testar toda aquela espontaneidade positiva ensaiada por 2015.


Deu certo. 2016 não teve planos, expectativas, não seguiu qualquer textbook e, ainda assim, foi um dos melhores anos da minha vida. Tudo ocorreu como o planejado, ou melhor, não planejado. Um ano inteiro levado no susto. Doze meses de adoráveis imprevistos.

E qual o poder de uma lista afinal? A intenção, lá no começo, não era ficar e casar, não esse ano. Estivesse nas metas -voltar para o Brasil, teria feito alguma diferença? E -mudar de estado? Todo o apego que eu tenho hoje em dia por Utah (quase inexistente em jan/16) seria diferente? Estaria acompanhado de frustração? Porque, cá entre nós, é muita pretensão do dia primeiro querer saber tudo o que a gente deseja para os outros 364.

2016 não teve lista, mas teve aproveitar mais o momento. Teve menos consumismo. Teve viagens, tempo com a família, mais estudos e leituras. Em contrapartida, teve ansiedade, desorganização, pressa, saudade. E eu quero 2017 do mesmo jeitinho; sem planejamento, com os níveis de lágrimas e risadas sendo ajustados ao longo do percurso.


Por isso, pensei em fazer um pouco diferente esse ano. Não vou sequer enumerar diretrizes, 2017 vai ter apenas um mantra: Faça mais daquilo que te faz feliz. Pode significar qualquer coisa, e ser regulado conforme as mudanças internas/externas. Um dia pode ser estudar mais, assim como, num outro, pode ser me dar mais tempo de descanso. Sair mais com os amigos, ou passar mais tempo debaixo das cobertas, somente na companhia de um livro. Cozinhar uma comidinha saudável, ou saborear um big mac repleto de sódio. As possibilidades são infinitas.

Se o objetivo final é otimizar a satisfação pessoal minimizando frustrações, que venha 2017 sem expectativas. E que o ano tenha espaço para surpreender mais uma vez .

19 comentários

  1. Na virada do ano em 2015, eu estava tão incomodada com certas coisas na minha vida, que só tive tempo para desejar que em 2016 eu fizesse as mudanças necessárias. Fora isso, não escrevi uma lista de metas. Para 2017, decidi fazer uma lista bem pequena: estudar todos os dias, pois quero me dedicar exclusivamente aos concursos públicos, e cuidar da minha saúde. O resto vai acontecendo e imprevistos bons podem tornar a vida ainda melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estava igualzinha você, La. Só conseguia desejar que tudo ficasse bem e mais nada.
      Boa sorte com os estudos! Sei que vida de concurseiro não é nada fácil, muita dedicação e abnegação. Vou torcer por você!
      Beijos

      Excluir
  2. Que texto maravilhoso Ka! Exatamente tudo o que você disse, um ano sem planejamos, simplesmente deixando tudo acontecer naturalmente e fazendo coisas que realmente nos deixam felizes. Esse ano eu também quero coisas boas para a minha vida, quero realizar sonhos, tudo sem pressa, só aproveitando cada momento. Que seu ano seja maravilhoso <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Kari,
    Eu fiz uma lista, mas ela é fundamentada em ser uma pessoa melhor, em 2015 não fiz lista para 2016 também. Sou um horror com planejamento a longo prazo e sei o que acontece quando eu não consigo realizar essa lista que a gente idealiza numa época em que o coração tá todo mole por causa do Natal. Então eu vou vivendo e colhendo os frutos, acho que sempre foi assim e não adianta muito querer fazer diferente.

    Eu fico muito feliz que seu ano tenho sido bom! Eu tive um ano bom cheio de complicações, mas muito bom também. Que 2017 seja um ano maravilhoso e que seja repleto de saúde e experiências felizes!

    Beijão
    <3

    ResponderExcluir
  4. Eu sou uma pessoa talvez um pouco estranha, mas todo dia quando acordo eu escrevo três páginas de qualquer coisa e no meio disso sempre sai metas e coisas que quero a alcançar, então é sempre uma atualização diária kkkk

    ResponderExcluir
  5. Que texto incrível! Eu nunca consegui planejar as coisas sabe, pq quando eu muito planejo geralmente nunca sai como eu quero haha e também achei super legal a sua resolução de ano novo, devemos sempre fazer mais o que nos faz feliz, mesmo :)
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Tamu junta amiga!! Tb não tracei metas, mas acho a ideia do BuJo/planner importante para organizar o que precisamos fazer. Mas essa coisa de deixar acontecer é otimo, exceto quando vc não esta com metas.
    Adorei o post
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  7. Pensei, pensei e pensei antes de comentar. Seu post me deu uma sensação tão boa e tão plena que eu não sei explicar. Às vezes, estabelecer critérios muito de cara apenas faz com que nós mesmos nos decepcionemos ao longo do caminho. A gente muda tanta em um ano que, o que você disse sobre resoluções faz bastante sentido.
    Eu sempre penso coisas que quero fazer no próximo ano e, 2017 foi o primeiro que eu realmente coloquei metas bem delineadas. Porque me sentia perdida, para ser sincera. Vários pontos em minha vida estavam e ainda estão soltas e, tudo que estabeleci foi pensando que, algumas delas precisam ser amarradas devidamente para que eu consiga respirar de verdade e sentir plena no que eu quero fazer.
    Em um ponto eu não posso discordar, fazer mais do que te faz feliz, porque isso norteia os pontos que preciso 'amarrar', por assim dizer.
    Obrigada por compartilhar o texto, vou acompanhar seu blog! Adorei sua escrita! <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela sua coragem em tentar mudança de vida e de estilo! Sempre fui de deixar as coisas acontecerem sem muito planejamento e realmente muita coisas surpreende, agora estou buscando planejar mais as coisas rs, e percebi que a expectativa faz parte disto e algumas coisas não saem ao certo como se quer, mas o fato de ter um vibe mais tranquilo não gera frustamentos. Super beijo da Luma

    ResponderExcluir
  9. Olá tudo bem?
    Admiro muito você por ter conseguido fechar o ano de 2016 sem listinhas, eu sinceramente não consigo, planejo, planejo e acontece que algumas coisas que escrevi não acontecem no ano mas mesmo assim não me deixo abater. Gostei muito do seu texto e vou tentar fazer o mesmo para o ano que vem porque a neurótica dos planejamentos anuais aqui já fez uma listinha pra 2017 kkk
    beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  10. Minhas metas sempre correram de forma que o subconsciênte faziam com que elas funcionasse. Chegando ao ponto de que no 31 de dezembro, eu deitava e escrevia tudo que queria cumprir no próximo ano e quando o dia amanhecia a lista ficava esquecida até o próximo 31 de dezembro. E quando eu pegava nela, percebia que tinha corrido atrás do que queria sem lembrar de que eram metas.
    Bem louco, ne?!
    Acredito que os imprevistos fazem de nossa vida única e maravilhosa como é!
    Vamos aproveitar o novo ano que nos foi dado <3
    A Bela, não a Fera blog | A Bela, não a Fera Youtube | Converse comigo no Twitter!

    ResponderExcluir
  11. Sabe que você me fez penaar,pensar e pensar. Realmente não é justo decidir no 1° dia do ano o que quero para o último, sempre fui a louca das metas mas este ano, decidi que ia deixar a vida me levar e me trazer surpresas, não quero guiar minha vida e sim deixa-la me guiar.

    ResponderExcluir
  12. Muito bom o post, Kari! Acho bem mais interessante e palpável esse tipo de resolução para o ano, e também bem mais realista. Além disso, podemos nos basear nos nossos sentimentos e verdadeiros sonhos. Adorei!
    Abraço :)

    Red Behavior

    ResponderExcluir
  13. ano passado nao fiz metas e acabou que o ano foi tao incrivel <3
    amei o blog. seguindo
    https://dose-of-poetry.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Eu nunca planejei e crie metas para os meus anos, claro que sempre penso em algo que quero realizar, mas nunca fui dessas de colocar no papel e me sentir obrigada em cumprir aquilo. 2016 foi maravilhoso pra mim também, que 2017 nos traga grandes surpresas boas ♥

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Coisa boa é a gente encontrar essa liberdade e leveza e descobrir "um novo eu" no processo. Parabéns!
    http://vivendolaforanoseua.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Acho que voce fez bem. Eu nao sou la muito adepta a essas listas, de forma que nesse ano novo que acabou de comecar, tambem nao fiz nenhuma. Ate pensei em colocar algumas metas no papel e fazer a tal lista, mas pensei: quer saber? que se dane, hahaha. Nao e pra mim, nao e de mim, simples. :)

    ResponderExcluir
  17. Oi, Kari!
    Acho muito bacana quem consegue levar a vida sem planos. Eu, no meu jeito Monica Geller de ser, gosto de ter metas e seguir um plano. Metas, para mim, como qualquer planejamento, são passíveis de mudanças e me servem de norte.
    Fazer o que nos faz feliz é mais do que importante, porque serve de motor para todas as outras coisas não tão entusiasmantes (porém necessárias) que somos obrigados.
    Espero que seu 2017 seja mais incrível do que foi seu 2016!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir
  18. Oi Kari, gostei do seu post, sobre a meta principal é fazer coisas que te deixa feliz! obrigada pela visita no Blog Milanyna.. beijos querida

    ResponderExcluir