"Não ficção é uma descrição ou representação de um assunto que é apresentado como fato. Esta representação pode ser precisa ou não; isto é, pode fornecer uma descrição verdadeira ou falsa do assunto em questão. Todavia, geralmente assume-se que os autores de tais relatos acreditavam que eles eram verdadeiros na época em que foram criados."


início - autora - 2017 reading challenge - blogroll
Tecnologia do Blogger.

Las Vegas, baby!


Mês passado, resolvemos, de impulso, pegar o carro e passar o final de semana em Las Vegas.

Utah é relativamente perto, gastamos um total de 6 horas até lá, e essa região montanhosa faz com que o tempo na estrada seja menos cansativo. Você sabe que está chegando em Vegas uma meia hora antes, já que a cidade é absurdamente iluminada e algumas construções são possíveis de se ver bem ao longe.

trânsito ♥
Fiquei admirada com o trânsito (quase inexistente em Utah) e a quantidade de pessoas andando na rua. Acho que até por isso, Vegas se tornou minha cidade favorita nos Estados Unidos até agora. Sabem como é, espírito paulistano que PRECISA ver um pouco de caos e movimento de vez em quando :). Para lembrar ainda mais minha cidade natal, levamos quase 40 minutos para conseguir estacionar o carro. Os estacionamentos dos hotéis/cassinos são disputados entre hóspedes e visitantes, ou seja, como chegamos à noite, estava completamente lotado. Acabamos tendo de estacionar na parte descoberta e eu me senti super insegura, não via a hora de amanhecer e tirar o carro dali :(.

Bellagio, The Strip e Paris Las Vegas
The Venetian
Na manhã seguinte fomos andar pela Las Vegas blvd, ou "The Strip", a rua principal onde ficam a maioria das atrações e cassinos. Visitamos várias lojinhas e entramos para ver boa parte dos cassinos. Alguns eu achei sem-graça, tipo o Paris Las Vegas (por dentro, só tem uma minúscula ambientação de Paris, bem bobinha), e outros eu fiquei apaixonada, como o The Venitian, com as gôndolas, lojas e o céu falso que dá um climinha de fim de tarde.

High Roller
Compramos ingressos para a High Roller, uma roda gigante construída em 2014, de onde você pode ver boa parte da cidade (o que não fica escondido pelos prédios altos) e tirar fotos. Nada de muito impressionante, mas vale a pena uma vez na vida.

Snow Crab legs  <3

Almoçamos no The Buffet Bellagio e foi uma das melhores partes da viagem! Bom, eu AMO comida e só de ter carangueijo, camarão, peixes, massas, carnes, doces, doces e mais doces a vontade, já fez o meu dia (e voltamos rolando para o hotel).
À noite assistimos o Cirque Du Soleil: Kà e foi maravilhoso. Eu não sou muito de "espetáculos", ainda mais circenses, mas acabei me empolgando com a história, os cenários e efeitos. Super recomendo.

Grissom ♥
No dia seguinte, incorporamos o Gil Grisson e brincamos de desvendar o crime na CSI: The Experience. Eu sou muito suspeita para falar, já que cientista forense é a profissão favorita, mas mesmo o noivo acabou se divertindo (e solucionando o crime!). Jogamos pouquíssimo nas máquinas, mas, dos $4 que colocamos, ganhamos $11, Yay!

Senti falta das penny slots, as máquinas que você pode jogar com moedas, tipo a Phoebe em Friends, rs. A maioria dos cassinos hoje em dia só aceita tickets e recargas apenas acima de $1. É uma pena, porque, mesmo que a jogada custe centavos, você vai ter de colocar $1 e não vai ter muito o que fazer com as moedinhas que a máquina pagar.

Sobre o carro, quando voltamos no dia seguinte, ele estava com os vidros abertos. Ainda não sabemos se foi a gente que deixou, se abriu sozinho, se alguém abriu, mas o fato é que todos os nossos pertences (incluindo tacos de golfe, gift cards, roupas, etc) estavam lá, intactos! Até hoje ainda debatemos o que será que aconteceu, mas esse mistério ficou em Vegas.

Nenhum comentário